image ROI em Google ADWORDS: o que é e porque calcular?

Regra de etiquetas nas redes sociais: o que fazer e o que não fazer

regra-de-etiquetas-nas-redes-sociais-o-que-fazer-e-o-que-nao-fazer1.jpg

Tem se tornado cada vez mais comum o uso de redes sociais pelas empresas. E não é sem motivo: só o Facebook conta com 1 bilhão de usuários diariamente ativos, segundo informação divulgada pela rede social em abril de 2016. Com tanta gente usando as redes sociais, as empresas não podem ficar de fora. É uma questão de sobrevivência no mercado se relacionar e se comunicar com clientes atuais e potenciais, especialmente por meio das redes.

Apesar disso, nem sempre as empresas sabem estabelecer esse relacionamento e essa comunicação da forma correta. Para facilitar a vida daqueles que gerenciam as redes sociais de uma empresa, trazemos neste post algumas regras de etiqueta nas redes sociais, para que você descubra como se espera que uma empresa se comporte nesse ambiente.

Nestes dias de informação globalizada, um simples erro na comunicação de uma empresa dentro das redes sociais pode determinar seu fracasso e simplesmente dizimar sua reputação. Para que isso não aconteça com você, descubra como agir neste post!

Preocupe-se como bom português

Cada público possui uma forma de se comunicar: alguns usam gírias e há perfis de públicos que possuem até mesmo algumas palavras próprias, que funcionam somente dentro do seu contexto. Seja qual for o estilo do seu público, nunca cometa erros de português – isso inclui ortografia e gramática.

Errar o português pode não só descredibilizar sua empresa como também pode transmitir uma informação de forma equivocada. Uma simples vírgula no lugar errado pode mudar todo o sentido. Portanto, se preocupe em se expressar corretamente.

Além disso, muito cuidado com as palavras que vai usar! Palavrões e expressões de baixo calão são completamente desaconselhados.

regra-de-etiquetas-nas-redes-sociais-o-que-fazer-e-o-que-nao-fazer2

Escolha e use cada rede social de acordo com seu propósito

Cada rede social costuma cumprir uma determinada finalidade. Por exemplo: o Twitter tem uma comunicação mais dinâmica e breve devido à limitação dos caracteres, e por isso é bom usar a rede para se comunicar de forma mais objetiva. O Instagram é voltado para compartilhar fotos e imagens, e por isso, é especialmente útil para as empresas de design, salões de beleza e outras empresas que lidam com o visual.

Já o Linkedin é uma rede social voltada para o mercado de trabalho. É um bom lugar para empresas que tem um perfil mais voltado para o ambiente corporativo. O Facebook, por sua vez, é uma rede social bastante versátil, capaz de se comunicar com diferentes tipos de realidades e públicos, usando diferentes tipos de mídia – textos, vídeos, fotos, e outros.

Não é uma boa ideia sair cadastrando sua empresa em todo o tipo de rede social que existe, especialmente se você não conseguir gerar engajamento em todas e mantê-las atualizadas. A primeira pergunta que você deve fazer é: meu cliente atual e potencial usa essa rede social? O formato dessa rede se aplica ao perfil do meu negócio? Serei capaz de manter essa rede atualizada e relevante de acordo com o propósito para o qual ela existe?

Ao se comunicar por meio de cada uma das redes sociais que você escolher para sua empresa, identifique quais são suas melhores práticas, como o usuário da rede em questão se comporta ali e quais são os tipos de postagem que geram maior engajamento.

regra-de-etiquetas-nas-redes-sociais-o-que-fazer-e-o-que-nao-fazer3

Interaja com respeito com sua audiência

Esse ponto parece bastante óbvio. No entanto, várias empresas tem enfrentado sérios problemas por não dar atenção suficiente a essa questão.

Se um usuário simplesmente discordar de você, saiba que ele tem todo o direito de fazer isso, e não precisa ser tratado com má educação ou nem que isso dê origem a um bate-boca entre você e a pessoa. Mesmo que o usuário xingue, difame, se comporte ou se comunique de uma maneira desapropriada em seu perfil ou página de sua rede social, isso não lhe dá o direito de fazer o mesmo. Se o comportamento dele for muito prejudicial e sério, você pode bloqueá-lo e tomar medidas legais contra ele, mas nunca responda na mesma moeda.

Muitas empresas se prejudicaram no mercado por não ter tido um bom comportamento nessas situações. Por isso, é bom vigiar sempre e cuidar para expressar os valores e a boa educação da sua empresa mesmo nessas circunstâncias críticas.

Como sua empresa se comporta nas redes sociais? Você tem outras dicas para dar? Comente aqui!

Se quiser ter mais dicas e conhecer estratégias para usar a internet a favor do seu negócio, baixe gratuitamente o e-book Inbound Marketing para Empresas.

Inbound-Marketing-para-empresas